Publicidade
Home  >  News Voltar

Jaeger-LeCoultreReverso Gyrotourbillon 2

15 de setembro de 2008
As etéreas revoluções do turbilhão esférico em uma caixa giratória


A Jaeger-LeCoultre é uma das poucas fabricantes de relógios que pode ostentar o legítimo título de "Manufatura". Além de produzir todos os seus próprios movimentos, a "Grande Maison", como é conhecida, o faz de forma prolífica e absolutamente criativa.

A quantidade de diferentes movimentos, nos mais variados tamanhos e formatos, não tem paralelo mesmo no mundo da alta relojoaria - ao longo de seus 175 anos de história, já produziu mais de 1.000 diferentes calibres, uma grande parte dos quais foi utilizada pelos mais prestigiosos fabricantes suíços e alemães. Atualmente, são produzidos mais de 40 movimentos distintos.



Para assistir a um vídeo de apresentação do Reverso Gyrotourbillon 2, clique no botão "Play" abaixo (clipe de alta qualidade; por favor, aguarde o carregamento):





Após a impressionante revelação do Gyrotourbillon I, em 2004, a Jaeger-LeCoultre oferece ao turbilhão esférico um novo palco digno de sua natureza tecnicamente inovadora: a caixa giratória do Reverso. Apresentado com uma expressão decorativa inspirada pelas mais finas tradições da Alta Relojoaria, este extraordinário mecanismo subverte princípios há muito estabelecidos, já que pela primeira vez um relógio de pulso abriga uma mola de balanço no formato cilíndrico. Representando uma esplêndida abordagem na busca pela precisão absoluta, o movimento tridimensional do turbilhão esférico fascina os observadores pela excepcional velocidade de rotação de suas duas carruagens, com a interna completando uma volta completa em 18,75 segundos, enquanto a externa realiza uma volta mais convencional de um minuto.

Universalmente aclamada quando de seu lançamento apenas quatro anos atrás, esta revolução no mundo do turbilhão agora encontra uma expressão estética natural no Reverso, com sua forma distinta que destaca ainda mais a absoluta beleza deste inigualável feito técnico.

Composto por duas carruagens montadas sobre eixos em ângulo de 90°, este microcosmo horológico ainda é o único dispositivo mecânico que liberta completamente um relógio de pulso dos efeitos prejudiciais da gravidade sobre a precisão da cronometria.


Um novo turbilhão esférico

Incorporando uma verdadeira maravilha mecânica, o turbilhão esférico e a centena de peças que o compõem exercem uma irresistível fascinação pela complexidade, velocidade e beleza de seu movimento tridimensional. Ávidos em enriquecer ainda mais a visão hipnotizante gerada por esse mecanismo sem paralelo, os projetistas da Manufatura decidiram aumentar ainda mais seu apelo visual já extraordinário adicionado um toque de cor. Para alcançá-lo, eles sugeriram aos técnicos que executassem um ousado tratamento térmico em uma das mais delicadas peças do mecanismo, a agora famosa mola do balanço cilíndrica, de forma a fornecer-lhe um azulado similar ao dos ponteiros de horas, minutos e reserva de marcha. E uma vez que as escolhas da Jaeger-LeCoultre são sempre ditadas tanto por critérios funcionais como estéticos, os braços do balanço foram meticulosamente vazados pra criar uma delgada elegância que também resulta em considerável redução de peso.


Uma característica sui generis do Gyrotourbilon 2: a mola do balanço cilíndrica

A segunda versão do Gyrotourbillon distingue-se por um órgão essencial: a presença de uma mola de balanço no formato cilíndrico, curvada nas extremidades. Este componente foi inventado pelo relojoeiro inglês John Arnold, que o patenteou em 1782. Devido à complexidade envolvida em sua produção e às dificuldades nas tentativas de miniaturizá-lo, esta engenhosa descoberta que garante um regular e perfeitamente isócrono desempenho da mola do balanço foi reservada exclusivamente para cronômetros marítimos e a alguns poucos relógios de bolso de dimensões generosas. Com isto, ele parecia destinado a nunca propelir um mecanismo utilizado no pulso. Mesmo inovadores relojoeiros sempre se incomodaram com esta situação, uma vez que suas características de marcha são unanimemente consideradas como sendo bastante superiores às de uma mola de balanço plana.

Os engenheiros e relojoeiros da Manufatura, contudo, foram capazes de superar todos os obstáculos e imprevistos. Os relojoeiros foram capazes de agarrar a oportunidade representada pelo turbilhão esférico e apresentar uma mola cilíndrica aninhada no coração de um relógio de pulso. Combinada com as vantagens específicas do turbilhão esférico, esta inovação representa uma ruptura no campo da precisão e abre o caminho para um nível de precisão de marcha simplesmente sem precedentes em um relógio projetado para seguir os movimentos do braço de seu usuário.

A extraordinária complexidade do turbilhão esférico

Constituindo um decisivo passo à frente na história da horologia mecânica, o turbilhão esférico oferece aos relógios de pulso as mesmas vantagens que o clássico turbilhão de Breguet havia trazido aos relógios de bolso. Desde o final do século XVIII, o mecanismo do turbilhão libertou os movimentos da influência da gravidade sobre o órgão regulador e seus adversos efeitos sobre a precisão. Este prodigiosamente desenhado mecanismo serve a seu verdadeiro propósito em um relógio de bolso, que geralmente fica em posição vertical no bolso de um colete.

Contudo, a utilidade de um turbilhão tradicional é muito menos óbvia em um relógio de pulso, que é usualmente utilizado em uma posição horizontal. Esta situação particular requer que o relojoeiro execute ajustes em várias posições de modo a determinar uma marcha média satisfatória.

Através de sua concepção e construção, em dois eixos em ângulo de 90°, o turbilhão esférico é o único dispositivo que compensa os efeitos da gravidade em todas as posições.

Entretanto, a sua produção exigiu o uso de materiais "high-tech" ultraleves de modo a criar um mecanismo capaz de conduzir a rotação simultânea de ambas as carruagens. Suas rotações são tão rápidas - um giro por minuto da carruagem externa e uma revolução em apenas 18,75 segundos para a interna - que o balanço mantém amplitude constante, qualquer que seja sua orientação. Pela primeira vez na história da relojoaria, a exatidão de um relógio é inteiramente independente da posição do relógio em si. Leal aos princípios que governam cada uma de suas decisões, a Jaeger-LeCoultre recusou-se a trilhar o caminho mais fácil para chegar a esse resultado, que seria a redução do tamanho do balanço ou a freqüência de suas oscilações. De modo a garantir a sua precisão, o Reverso Gyrotourbillon 2 é equipado com um grande balanço de ouro que é praticamente insensível a vibrações ou choques, tem uma inércia de 12,5 mg x cm² e oscila imperturbavelmente a 28.800 vibrações por hora. Em um supremo toque de luxo e de modo a evitar qualquer alteração na marcha no caso de impactos, ajustes são feitos por meio de blocos de inércia dispostos ao redor da lateral do balanço.


Um Reverso absoluto, para uma nova dimensão na cronometria

Em termos de suas funções horológicas, o Reverso Gyrotourbillon 2 exibe as horas por meio de dois ponteiros de aço azulados termicamente que se movem sobre um submostrador em safira descentrado. Uma fina gravação na roda à esquerda do mostrador permite a leitura da hora em uma escala de 24 horas. Por sua vez, os segundos são indicados por um índice azul que é na verdade parte da carruagem externa do turbilhão. No verso, um ponteiro integrado ao movimento indica a reserva de marcha em uma ponte no formato de setor circular.

Contudo, sempre que um relógio Jaeger-LeCoultre aparenta ter revelado todas as suas características essenciais, um novo elemento consistentemente sobrepuja a visão global que um observador atento está se esforçando em obter. Para este modelo particular, de forma a abrigar o movimento a corda manual Calibre 174, os engenheiros da Manufatura tiveram que desenhar uma caixa reversível inteiramente nova que, todavia, compartilha do inimitável DNA do Reverso. Pela natureza de sua concepção, o turbilhão esférico requer um espaço razoável para operar com liberdade e segurança. Após inúmeros protótipos baseados em cristais altamente complexos e esferas cortadas de safiras, técnicos e designers finalmente conseguiram acomodar a espessura do turbilhão em uma caixa aparentemente clássica e cristal de safira. À altura de seu grande refinamento, esta caixa é equipada com um parafuso inspirado pelo sistema usado no Reverso Grande Complication à Triptyque, de forma a prevenir qualquer abertura acidental do relógio. A caixa é resistente à água a 30 metros e possui uma pulseira integrada de couro que assegura excepcional conforto no pulso. Compatível com um relógio tão prestigioso, o Reverso Gyrotourbillon 2 será lançado em uma edição estritamente limitada a 75 peças em platina.

O tambor possui uma tampa e um cristal de safira para reduzir o atrito da mola principal. A energia que ele armazena está, portanto, inteiramente à disposição do movimento, de modo assegurar a sua reserva de marcha de 50 horas. Além disso, um sutil dispositivo no tambor evita quaisquer riscos relacionados à excessiva ou insuficiente tensão. Isto significa que, quando o relógio está recebendo corda, o sistema bloqueia o carregamento antes que a mola fique excessivamente tensa. Reciprocamente, o movimento pára antes que uma insuficiente tensão seja capaz de afetar adversamente a precisão do relógio. O movimento extraordinariamente decorado a mão Jaeger-LeCoultre Calibre 174 é composto de 371 peças.

Conhecedores da alta relojoaria irão apreciar os relevos feitos a mão e os ângulos interiores polidos, bem como o delicado arredondamento da ponte intermediária da carruagem. As pontes em prata alemã e a platina principal apresentam relevos feitos a mão e ângulos polidos. As superfícies são adornadas com Clous de Paris, Côtes de Genève, granulamento circular e acetinado, tudo servindo para acentuar a beleza deste esplêndido movimento retangular. Estes toques ornamentais criam fabulosos contrastes com as peças em aço e as engrenagens folheados a ouro amarelo. Finalmente, a platina apresenta um parafuso cujo propósito está destinado a permanecer um mistério para gerações de relojoeiros, já que ele revelará o segredo de sua função apenas para aventureiros da micro-mecânica, preparados para despender o tempo necessário para desvendar o enigma por trás do funcionamento deste inigualável calibre mecânico.

Apesar de tudo, qualquer devoto da relojoaria logo esquecerá as características auxiliares do Reverso Gyrotourbillon 2 e simplesmente contemplará a extraordinária visão oferecida pelo Calibre 174 e as cativantes revoluções do turbilhão esférico enquanto ele exerce sua verdadeiramente irresistível força de atração. Como o absoluto Reverso, o Gyrotourbillon 2 constitui-se em uma realização única que poderia emergir apenas de uma Manufatura que tem aliado tradicional know-how com um inegável espírito de inovação nos últimos 175 anos. Este relógio, ostentando um grau de precisão sobre o pulso que o liberta inteiramente da poder da gravidade, ilustra a força criativa que alimenta as incontáveis transformações do Reverso, o ícone da relojoaria que tem surgido em novas formas de expressão consistentemente reinventadas e perpetuamente fascinantes.

Preço sugerido de venda: US$ 350,000.00


Publicado originalmente na Revista Pulso no. 57, Julho/2008
 
Reverso Gyrotourbillon 2
Reverso Gyrotourbillon 2 ? Frente
Reverso Gyrotourbillon 2 ? Verso
Reverso Gyrotourbillon 2 ? Verso
Calibre 174 ? Lado do mostrador
Calibre 174 ? Verso
Reverso Gyrotourbillon 2
Reverso Gyrotourbillon 2 ? Verso
O turbilhão esférico
A mola do balanço azulada
O balanço
O turbilhão esférico
O tambor de corda

NotíciasRelacionadas

04 de outubro de 2019
23 de agosto de 2019

BRANDPARTNERS