Publicidade
Home  >  News Voltar

Audemars PiguetEntrevista com Georges-Henry Meylan

08 de maio de 2008
Nascido no Vallée de Joux em 19 de Janeiro de 1945, Georges-Henri Meylan é o CEO (Chief Executive Officer), ou seja, o Presidente, da Audemars Piguet , uma das mais veneráveis manufaturas relojoeiras suíças.

Tendo chegado à Audemars Piguet como Gerente de Operações, assumiu a função de CEO no ano de 1997.

Sua gestão tem sido marcada por uma grande prosperidade da companhia, que tem se destacado tanto na produção de modelos clássicos como em inovações na tecnologia de materiais.

Georges-Henri Meylan gentilmente nos recebeu para uma agradável entrevista durante o SIHH 2008, em Genebra.




Relógios & Relógios: O Senhor poderia nos dizer algo sobre sua pessoa e sobre como entrou no mundo da relojoaria?
Georges-Henri Meylan: Venho de uma região próxima a Genebra, onde há um grande centro da indústria relojoeira, as Montanhas do Jura, mais especificamente do Vallée de Joux. Me formei em Engenharia, comecei a trabalhar com produtos elétricos, cheguei à direção geral e trabalhei para algumas importantes companhias relojoeiras antes de chegar à Audemars Piguet em 1985.


R&R: O Sr. está envolvido de alguma forma com a criação de relógios?
G-HM: Naturalmente. Criação não é bem a palavra correta, mas um novo relógio é resultado do trabalho de uma equipe, você precisa de designers, técnicos, pessoas de materiais; fazemos uma série de reuniões e temos de decidir se faremos um relógio ou não. Minha contribuição é relativa à decisão. Eu mesmo não desenho, eu trago idéias. Algumas vezes digo: por que não fazemos algo desta maneira?


R&R: Audemars Piguet tem uma forte ligação com o mundo dos esportes. Quão importante é este fato para a empresa?
G-HM: Isto tem sido muito importante, como se sabe, nós estamos envolvidos com o golfe há cerca de 20 anos, com Nick Faldo, um jogador muito famoso, e com vários outros golfistas, homens e mulheres; nós estamos presentes no iatismo, com a America's Cup, em uma parceria com o Alinghi, e em vários outros esportes, com muito sucesso, e tudo isto tem trazido muito boa visibilidade à marca.


R&R: Vocês têm como embaixador um piloto de Formula 1 brasileiro, Rubens Barrichello...
G-HM: Sim, mas acredito que este ano será o ultimo para ele na Fórmula 1, e nós devemos também encerrar com ele, também. A Edição Especial que nós criamos para ele fez muito sucesso em todo o mundo.


R&R: Como é a relação entre Audemars Piguet e outros fabricantes e produtores de movimentos?
G-HM: Nós temos alguma relação com alguns deles, mas nós temos tentado ser cada vez mais independentes, a maior parte de nossa produção utiliza nossos próprios movimentos.


R&R: A Audemars Piguet utilize ébauches (base de movimento) produzidos por outros fabricantes?
G-HM: Nós ainda utilizamos ébauches da Jaeger-LeCoultre para uma pequena parte de nossa produção.


R&R: O Sr. poderia nos descrever as novidade da Audemars Piguet em 2008?
G-HM: Nós trabalhamos no segmento feminino especialmente com o ouro rosa, em relógios que ainda não existiam com este tipo de ouro, e também em novos mostradores; trabalhamos na Millenary Collection para homens e mulheres, como o Pianoforte, estabelecendo uma ligação com a música. Na linha Royal Oak lançamos novos mostradores, especialmente para os cronógrafos, e um modelo muito especial em carbono forjado, um novo conceito. Nós também lançamos algo bastante clássico com o Jules Audemars com calendário perpétuo e alguns relógios com dois ponteiros para alguns países asiáticos, que ainda são muito conservadores.


R&R: Nós não vimos nenhum modelo da coleção Edward Piguet ...
G-HM: Sim, nós estamos trabalhando nesta coleção para mostrar no próximo ano ou no ano seguinte, nós pensamos que o Edward Piguet ainda é um ótimo relógio para ser trabalhado.


R&R: Qual a proporção entre a venda de relógios Audemars Piguet para homens e senhoras?
G-HM: Nós temos 25% para senhoras, 75% para homens. Quando falo de relógios para senhoras, me refiro a típicos modelos femininos, pois há diversos modelos masculinos que também estão sendo usados por mulheres, atualmente.


R&R: E entre relógios mecânicos e a quartzo para senhoras?
G-HM: Bem, nós temos apenas uma pequena parte de nosso produção do Royal Oak para senhoras em quartzo.


R&R: A AP recentemente reformulou seu web site, que agora está muito mais moderno e atraente. Qual é sua opinião sobre a mídia internet?
G-HM: É uma ferramenta muito conveniente, mais e mais pessoas a estão utilizando, para informação ou para compras, o que é algo em que temos que refletir porque a nova geração está sempre pensando nisto, mas nós temos que ter cuidados em utilizá-la como ferramenta de venda.


R&R: Quais são as tendências para os relógios de pulso?
G-HM: Os relógios grandes ainda são uma tendência, mas tenho percebido que mais e mais pessoas estão querendo tamanhos mais clássicos, mas mesmo estes ainda serão maiores do que costumavam ser.
Muitas empresas estão trabalhando em novos materiais e nós também, já que não podemos ficar somente com o aço, ouro e platina.


R&R: Como o Sr. imagina o futuro da Audemars Piguet?
G-HM: Eu vejo a AP como uma marca de presença mundial, cada vez mais forte em complicações, em relógios esportivos, cobrindo todo o alto segmento, melhorando no segmento de relógios femininos.


R&R: A marca está interessada em incrementar a distribuição no Brasil?
G-HM: Bem, nós estamos trabalhando nisto, de forma gradual, já que nós acabamos de assumir a própria distribuição no início de ano, agora nós temos uma distribuição em Miami para toda a América Latina. A pessoa responsável por ela é Antonio Seward, o mesmo que trabalhava para a Bay Distributors, o antigo distribuidor sediado em Barbados.


R&R: O Sr. gostaria de enviar uma mensagem para o Brasil e pra os leitores de Relógios & Relógios?
G-HM: Eu gostaria de dizer que o Brasil é um mercado muito interessante para a Audemars Piguet e nele há um enorme espaço para crescimento. É um grande país, nós temos bons clientes e certamente no futuro poderemos fazer muito mais negócios do que atualmente.


R&R: Muito obrigado pelo seu tempo e atenção dispensados.




Para saber mais sobre a Audemars Piguet e conhecer as suas novidades, visite nosso Guia de Marcas.
 
Georges-Henri Meylan no Grand Prix de Genebra, 2007
Georges-Henri Meylan
Georges-Henri Meylan em Le Brassus
Georges-Henri Meylan no lançamento do Royal Oak Offshore Ladycat, 2008
Sede da Audemars Piguet, em Le Brassus
O novo ROO Concept
O novo Jules Audemars Calendário Perpétuo
Do desenho no papel...
...passando pela preparação do carbono...
...até a caixa pronta para montagem

BRANDPARTNERS