Publicidade
Home  >  News Voltar

GrönefeldO inovador One Hertz

16 de setembro de 2011
"One Hertz", o primeiro relógio de pulso do mundo com segundos mortos independentes.


Em meio a tantas maravilhas da relojoaria mecânica, um relógio de pulso chamava a atenção e parecia deslocado no pavilhão de Baselworld dedicado aos criadores independentes. O Grönefeld "One Hertz" exibia um grande ponteiro de segundos que se movimentava como em um relógio a quartzo...


Um olhar mais detido revelava sim tratar-se de mais uma excepcional obra mecânica, dotada de uma rara complicação: os "segundos mortos", uma expressão que se refere ao fato de o ponteiro dos segundos permanecer imóvel até o segundo passar completamente.



O "One Hertz", uma criação dos relojoeiros holandeses Tim e Bart Grönefeld, é o primeiro relógio de pulso do mundo a ser produzido com segundos mortos independentes. Embora rara, a complicação de segundos mortos já existia há tempos, mas até agora ela sempre derivou de outros mecanismos, usualmente um dispositivo de força constante ou "remontoir d'égalité".

O Grönefeld One Hertz apresenta um movimento desenvolvido "in-house" completamente original, indicando horas e minutos em um submostrador às 2 horas, um grande submostrador para os segundos mortos preenchendo a maior parte do mostrador, um indicador de reserva de marcha às 12 horas, e um indicador de função (acertar hora/dar corda) às 3 horas. Esta função é ergonomicamente selecionada ao se pressionar a coroa ao invés de puxá-la.

Segundos mortos - onde o ponteiro de segundos avança em passos de um segundo ao invés de exibir um movimento suave aparentemente contínuo - era uma complicação muito respeitada até os anos 1980; contudo, sua popularidade diminuiu com a dominação dos mecanismos a quartzo, que também avançam em segundos completos. Um ponteiro de segundos de movimento "contínuo" sempre diferenciou o relógio mecânico daquele a quartzo.

Com o novo One Hertz, e seu exclusivo trem de engrenagens secundário, Tim e Bart Grönefeld ressuscitaram esta complicação há muito desprezada e reposicionaram-na onde ela se originou, ou seja, no pedestal da alta precisão.

O movimento do grande ponteiro de segundos do One Hertz, semelhante ao de um relógio a quartzo, indica sutilmente seu mecanismo único, invisível para a maioria, mas óbvio para aficionados da alta relojoaria, que também apreciarão o impecável refinamento do mecanismo desenvolvido "in-house" do calibre G-02.

O One Hertz é apresentado em duas versões, a primeira limitada a 12 peças em aço, chamada de "One Hertz 1912" - 1912 foi o ano em que o avô de Tim e Bart foi habilitado como relojoeiro. A segunda versão é o "One Hertz Dune" em ouro vermelho, em edição limitada a 20 peças.


História dos Segundos Mortos

Com a introdução do pêndulo no século XVII, os relógios finalmente se tornaram precisos o suficiente para medir segundos. Foi então que um ponteiro indicando os segundos sobre um grande mostrador passou a significar um relógio de precisão. Um pêndulo com um período - o tempo para se movimentar para frente e para trás - de dois segundos (o mais comum) resultava em um único tique por segundo.

A invenção da mola espiral, que substituiu o pêndulo, permitiu a miniaturização dos relógios. Conforme os relógios de bolso portáteis se tornavam mais acurados, os relojoeiros naturalmente tiveram a ideia de copiar os passos de um segundo completo para o ponteiro de segundos, o que representava um relógio de precisão. Contudo, a rápida oscilação do balanço fazia com que os segundos não pudessem ser conduzidos diretamente a partir do oscilador como no caso do pêndulo, então eles precisavam de um novo mecanismo para ser independentes, ou então deviam ser conduzidos por outra complicação, como por exemplo um dispositivo de força constante. Embora relógios de bolso tivessem trazido segundos mortos independentes no passado, o Grönefeld One Hertz é o primeiro relógio de pulso com essa complicação.

O Grönefeld One Hertz é único entre os relógios de pulso, pois seus segundos mortos são impulsionados por um trem de engrenagens secundário que é independente do trem principal para as indicações de horas e minutos.


One Hertz

O hertz (símbolo: Hz) é a unidade SI (Sistema Internacional) de frequência, que é definida como o número de ciclos por segundo de um fenômeno periódico. Esta unidade SI homenageia Heinrich Hertz. "One Hertz" significa simplesmente "um ciclo por segundo".

Mecanismos de relógios de pulso mecânicos geralmente têm frequências de 2,5 a 5 hertz, o que resulta no ponteiro de segundos realizando um movimento com cinco a dez passos a cada segundo, assim parecendo com um movimento contínuo.

O segundo é a unidade básica internacional de tempo do Sistema Internacional. Para destacar os segundos SI, o One Hertz exibe os segundos mortos com um grande ponteiro, em seu próprio mostrador. Horas e minutos não são unidades de tempo SI e são indicadas separadamente.


A complicação de segundos mortos independentes do "One Hertz"

Indicar segundos mortos em um relógio de pulso sem um dispositivo de força constante não é uma tarefa fácil. O atrito do mecanismo deve ser reduzido ao absolutamente mínimo para que não interfira com o escapamento.

Tim e Bart Grönefeld utilizaram um mecanismo de segundos mortos independente que é conduzido por seu próprio trem de engrenagens secundário e possui seu próprio fornecimento de energia. Os segundos possuem um tambor de corda e as horas e minutos, outro. Com esse sistema, garante-se que o atrito seja reduzido absolutamente ao mínimo e que a complicação não exerça influência adversa sobre o escapamento e o balanço de livre oscilação.



As duas molas principais recebem corda simultaneamente a partir da coroa, a qual apresenta uma inovadora função "aperte para acertar, aperte para dar corda", com o modo selecionado indicado sobre o mostrador às 3 horas. Um indicador de reserva de marcha no topo do submostrador dos segundos mortos mostra o estado da sua autonomia de 60 horas.


O mecanismo do "One Hertz"

Este espetacular relógio abriga o Calibre G-02, um mecanismo mecânico a corda manual, com segundos mortos independentes, indicador de reserva de marcha e de função da coroa. Com 35 mm de diâmetro e 9,4 mm de espessura, é composto por 254 peças, sendo 39 rubis, assentados em chatons de ouro.

São dois tambores, um para horas e minutos e o outro para o mecanismo de segundos mortos independentes; ambos recebem corda com a mesma velocidade e na mesma direção. O primeiro garante uma reserva de marcha de 60 horas. A roda de balanço com 9,12 mm de diâmetro, de livre oscilação e inércia variável, possui uma frequência de 21.600 vph/ 3 Hz. A espiral possui uma curva terminal "overcoil" Phillips, com porta-píton triangular.


O mecanismo independente de segundos mortos possui uma came com 30 dentes, acoplada à roda de segundos do trem de engrenagens principal. A roda de escape é acoplada à roda de segundos do trem de engrenagens independente.


Caixa e mostrador

A caixa em aço do "1912", com dimensões de 43 x 12,5 mm, possui parafusos de segurança em ouro, aro polido e lateral com granulamento reto acabado manualmente. A caixa do modelo "Dune" é feita em ouro 18 K 5N.

Trazendo fundo transparente em cristal de safira, tem resistência à água de 3 atm/30 metros. A coroa em aço exibe o logotipo "G" gravado. A pulseira é de couro de aligátor fosco marrom ou preto, costurado à mão, complementada por um fecho de fivela em aço ou ouro.

O mostrador traz horas e minutos em um submostrador, segundos em outro, indicador de reserva de marcha, indicador de função ajuste/corda, além do logo Grönefeld e o nome do modelo em placas individuais parafusadas. Ele é protegido por um cristal de safira com tratamento antirrefletivo em ambas as faces.


Tim e Bart Grönefeld


O nome Grönefeld e a arte da relojoaria têm uma história familiar que remonta há quase 100 anos, originária da antiga cidade de Oldenzaal, na Holanda. Lá, em uma loja de frente para a antiga igreja basílica de 1240, Johan Grönefeld, avô de Tim e Bart, iniciou sua carreira como relojoeiro em 1912, marcando o início de uma dinastia muito talentosa de relojoeiros Grönefeld que continua até hoje.

A oficina de Tim e Bart está localizada no prédio original de Johan Grönefeld, o que representa uma história relojoeira familiar contínua muito rara de se encontrar em qualquer lugar do mundo nos dias de hoje.

Tim e Bart submeteram-se a um intensivo treinamento na Suíça, e dentro de um intervalo de tempo relativamente curto provaram ser grandes especialistas na produção das mais cobiçadas e refinadas de todas as complicações relojoeiras: o turbilhão e o repetidor de minutos em relógios de pulso. Em 2008, após trabalharem anonimamente nos bastidores para prestigiosas marcas Suíças, eles apresentaram o primeiro relógio trazendo seu próprio nome, o GTM-06 Turbilhão Repetidor de Minutos.

Em Junho de 2010 Tim e Bart apresentaram as imagens de seu segundo relógio, o One Hertz, o primeiro relógio de pulso do mundo com segundos mortos independentes, com um novo movimento completamente desenvolvido "in-house".

O One Hertz é um modelo verdadeiramente surpreendente e inovador, e traz o nome de criadores independentes que certamente merecem ser reconhecidos pelos aficionados da mais refinada relojoaria.


Grönefeld One Hertz

One Hertz 1912 em aço inoxidável: ? 29'500
One Hertz Dune em ouro rosa: ? 49'500

www.gronefeld.nl




Publicado originalmente na Revista Pulso no. 75, Julho/2011
 
Tim e Bart Grönefeld em seu ateliê
A sede da Grönefeld Exclusive Timepieces

NotíciasRelacionadas

14 de março de 2017
23 de junho de 2014

BRANDPARTNERS